Sobre as grandes vantagens de ser o que se é…

É… Ser… Verbo = Ação.

O tempo passa. E a gente? Nem percebe, tem medo, deixa passar.

Não vê, ou o que é pior, se faz de cego.

Dizem que o pior cego é o que não quer ver.
Pois, então… O pior mudo é o que não quer falar?… O pior moribundo [?] é o que não quer fazer?

Seja um moribundo, então… Eu cansei.

#Desabafo… Afinal, isso serve pra mim também… Pois é!


“And if you like to tell me ‘maybe’
… Just go ahead now.” ♪♫

Mas não é de um ‘maybe’ que preciso agora.


# 05

O ser humano não é uma coisa perfeita que comete erros, de vez em quando…

É uma coisa errada que acerta, quase sempre.

quase sempre.


… Borboletas [?]

Por Mário Quintana:

“Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar… nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam, elas se completam… não por serem metades, mas por serem inteiras, dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela. Percebe também que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!”

[…]

Tenho plena consciência de que não ‘preciso’ de ninguém… Mas segundo o Mário, sou um ser inteiro, porém incompleto, é isso?

Engraçado… De fato, me sinto incompleta.

“O segredo é cuidar do jardim…” …

… Nunca fui boa em cuidar de jardins.


É que, né…

“… Às vezes na vida existem laços reais que nunca podem ser rompidos. Às vezes você vai encontrar aquela pessoa que vai ficar ao seu lado aconteça o que acontecer. Talvez encontre uma pessoa e celebre isso com o casamento. Mas também existe a chance de que essa pessoa com a qual você pode contar a vida toda, aquela pessoa que te conhece às vezes melhor que você mesmo seja a mesma pessoa que está ao seu lado esse tempo todo…”

– Noivas em Guerra –

Não, nunca me imaginei (nem mesmo agora) entrando em uma igreja, de branco, véu grinalda, ou seja lá onde, ou como, ou com quem…

Mas já me imaginei entrando, na frente de alguém que fará isso… [me lembra conversas de diversas rodas de amigos, inclusive a última]

Por algum motivo, que eu realmente não saberia explicar… Porque está além das minhas capacidades humandas, estava vendo esse filme e chorei (???). Chorei muito… Pensando na vida, não no futuro, mas em como algumas pessoas têm esse papel tão especial na nossa vida. Tão… sem explicação.
Quanto algumas pessoas são fundamentais, o quando significam a coisa mais simples que tem mais valor no universo inteiro… O quanto estamos sempre presos a laços que nós nem percebemos se formando, mas que, sim… São “desnodáveis”…

Não acredito no ‘para sempre’, no eterno… Aliás, acredito sim. Acredito que o ‘para sempre’ é agora, e o eterno, é só ‘enquanto dura’…

Momentos… A vida é feita de momentos.

Mas as pessoas… elas passam pela nossa vida, e mesmo que a gente não queira, elas ‘deixam marcas’, não todas. Só as especiais…

Hoje, agora, acho oportuno dizer que essas pessoas que passaram, e me marcaram, foram importantes… Mas, principalmente, as que marcaram, e ainda estão aqui… Ah, SÃO a minha VIDA, valendo o meu ‘cada dia’, e me fazem ‘feliz para sempre’…

=)

Sei lá… Eu, contrariando a mim mesma, não estou sozinha, mesmo quando, egoístamente, me afasto. Saio, sumo… Sei que vocês vão estar sempre aqui (em algum lugar)…

E um dia, eu vou tá lá… subindo no altar… pra ficar do lado da noiva, noivo, enfim… (#velhicefeelings!)

Sei lá²… “Às vezes na vida existem laços reais que nunca podem ser rompidos…”

Mas resumindo… Só sei que amo vocês, de uma maneira meio fora do meu controle… tenho medo, e gosto disso.

Obrigada por tudo!

(Sou muito mimimi, eu sei… ai que saco!)


… Echoes, Silence, Patience & Grace.

Um dos melhores álbuns de todos os tempos, da minha vida.

Mas eu digo isso sobre todos os álbuns do Foo Fighters, então, talvez não deva ser levado em consideração. Ou talvez, deva.

… “You’re not alone, dear loneliness
You forgot but I remember this
So, stranger, stranger, stranger things have happened, I know

I’m not alone, dear loneliness
I forgot that I remember this
So, stranger, stranger, stranger things have happened, I know
Ohh…” …

São músicas, letras, memórias, sensações, sentimentos, ‘esquecimentos’… ecos, silêncio, paciência e graça (?)…

E depois de um ótimo dia… A madrugada.

É o que tem pra hoje, e eu? Com certeza não vou reclamar.

Bom sábadomingo!

😉


… But I still don’t miss you yet.

“Only when I stop to think about it…”

Caos!


… dia de tosa.

Dia sem prosa.

Sem rima, com pouco sol.

Dia comum. Quinta-feira, TV, e nada especial.

Só mais um dia, dentre tantos outros que já passaram.

Mas ainda esperamos pelo ‘amanhã’.
Isso, como se houvesse qualquer outra opção…

Sexta-feira, entre sem bater, e fique à vontade.

😉