Feliz ano novo, de novo!

Acabou o carnaval.

Passou voando, devagar.

Sabe Vida… É engraçado analisar a volta que você deu, e vi tudo do melhor lugar.

Sem esperar nada, e surpreendendo cada incrédulo pensamento meu.   Foi uma volta inteira.

É, é realmente engraçado.

E pensei que esse dia demoraria mais, mas quem estava contando?

A verdade por trás das coisas nunca vai fazer sentido, e meu tempo não anda sendo cronometrado de uma maneira muito correta.

Verdade também que não houve tempo perdido a recuperar, mas um pedaço meu voltou ao seu lugar. E, mais uma vez, é engraçado pensar.

Existem espaços/pedaços dentro da gente que não são da gente, que podem ser tirados da gente… Mesmo que isso seja um sacrifício necessário, ou que seja uma escolha nossa.

Não que você seja muito justa com a gente, porque não é. Mas é como deve ser, porque, às vezes, o empurrãozinho é necessário, mesmo quando desesperador.

Tem gente que só encontra solução diante do problema, certo? Mas se não houver problema há perda de tempo pensando em uma solução de um problema que não existe, então, eis a ordem natural.

E a nossa ideia de que você, Vida, não é justa! É o seu papel.

É… engraçado, eu sei, mas não me fez rir.

Talvez a minha parte que voltou ainda seja o que sempre foi, só que agora é diferente, porque os meus olhos que sentem não enxergam mais como antigamente.

♫ E eu ainda gosto muito de você, 

Mas você não saberia dizer, eu não saberia dizer.

E essa música ainda nem existe.

Anúncios

♫ … You’re Killing Me

Você é o que você sente.

Isso impele, talvez, no que você come, ou bebe… Algumas reações químicas…

Mas o que você sente não será sempre o que você diz, ou faz.

Editamos os sentimentos em ações que não dizemos, e falas que não se tornam ações.

Eu sou o que eu sinto, nem sempre o que eu falo, e provavelmente deixo escapar no que faço… Justamente pelo que sou.

Omitir é necessário, mas até quando? E qual seria o motivo?

Ontem eu tive uma boa lição sobre o que eu sinto e o que eu sou. E eu disse, eu fiz.

Não ganhei nada, exceto a experiência e o fato de estar satisfeita comigo mesma, mesmo que houvesse em alguma pequena parcela uma triste dedução.

Nós tanto não agradamos a todos, tanto, quanto não agradamos a nós mesmos o tempo todo.

Não é errado tentar mudar, mas não é possível… Na mesma proporção.

Você pode esconder sua essência do mundo, mas não de você. Todo mundo tem um defeito ou outro.

Não julgo errada a correção, mesmo que não chegue a acontecer.

É aquilo de manter a essência moldando os detalhes, e assim quem sabe chegar em um consenso que TE agrade?

Isso vai levar a sua vida inteira, não tenha dúvida, dito por uma ‘criança’ sem saber se alguém vai ouvir.

No final do dia você deve se contentar em sempre se ter por perto, porque quando você se perde, nada que você encontra te faz feliz.

What if I wanted to fight

Beg for the rest of my life

What would you do? ♪


Cortem-lhe(me) a cabeça!

… Porque minha consciência anda insana… Já não sabe mais coordenar o resto do corpo.

Anda bombeando muito sangue e acelerando todos os batimentos do pobre coração que nasceu burro…

 

 

E (h)a vontade de gritar.

E o controle? Que controle?

E (h)a espera?!…

 

Porque as horas passam o silêncio não tem o pudor de se cobrir.

 

É mais um dia que passa, é só mais um dia que vai passar. Esperando e espiando o que não acontece.

É uma janela com vizinhos que, com certeza, têm mais o que fazer… Não tem conversa, não tem ninguém.

 

 

 

É a coleção de palavras no álbum que espera a figurinha premiada da ação.

 

 

 

♫ Look in my eyes
You’re killing me, killing me
All I wanted was you.

 


16-²

É mais um mês, desde a última vez.
É um dia a mais, além da primeira metade.
É só o tempo passando sem perceber…
Fazendo sua própria vontade.

Mais um número,
Uma soma, outra conta,
Um ciclo completo
Em um circo sem lona.

Mais alguns pensamentos complexos
Em uma caixinha sem cor
De linhas invisíveis
Aberta, sem penhor nem pudor.

Só mais uma manhã de quinta.
E um dia de sol sem ‘talvez’,
Mais um desses de dezesseis
Desde a última vez.

 

 

– E passou tão rápido.

 

 

 

♫ I’m alone on a bycicle for two.

 

:{.


5.5

Se a realidade é sua, tenha a liberdade de enxergá-la da maneira que mais lhe agrade.

 

 

 

♫ E abri mão do meu passado do meu texto decorado
E eu preciso tanto te dizer…

 

 

Na verdade eu já disse, né?


Quarta-feia!

Tenho o costume de ler 2 ou mais horóscopos de manhã, gosto de saber sobre os boatos astrológicos…

 

Sabe?

Depois de tanto tempo nessa rotina, é engraçado perceber que tem horóscopo faz o tipo mãe, pede pra você ir com calma no amor, e sempre dá algum conselho rotineiro como ‘aumente os cuidados com possíveis acidentes envolvendo vazamentos ou pneus carecas’…

 

Tem aqueles horóscopos de papo de boteco que filosofam sobre como eles acham que é a sua vida, e como eles acham que deveria ser… Mas, idependente disso, ‘só depedende de você’.

Tem também aquele que é loroteiro, usa as posições solares para mostrar alguma propriedade no que vai dizer, diz qualquer coisa, mas no fundo não quer dizer absolutamente nada.

E ainda tem aquele horóscopo ‘selo de troca’, ele sempre te dá até a segunda quinzena para que aconteça ‘alguma coisa surpreendente’!… Pro bem, ou pro mal… Haha!

 

Do todos, o que mais tem credibilidade, na minha opinião, é o de boteco (!!!), porque, é… Só depende de você!

 

 

Enfim… enfim…

 

 

O.ó

 

♫ – Sentimental feelings…
Never get me anywhere.

Sobre as perdas…

O que nós sabemos sobre elas?

Sabemos apenas sobre os ganhos que não temos, e isso chamamos de perda.

Perder não tem a ver com o jogo, mas com a vida… E eu realmente não vejo nenhuma semalhança.

 

A gente vai perder quando aquilo deixar de existir.

É inevitável… queira você, ou não, vai acontecer.

 

Verdade é que a gente pode aproveitar o que ainda existe sem querer ganhar, antes de perder…

 

Nesse sentido ainda me sinto uma grande perdedora.

Sei bem que o tempo ajuda, mas não resolve…

 

 

=/

 

♫ – It’s too late to cry

Too broken to move on.