Vamos falar sobre amor…

Porque amor dá audiência.

 

Na verdade, o que você, grande ser humano de vinte e três anos de idade sabe sobre o amor?

Amor é coisa de gente ressentida. Ou de gente sem juízo.

Amor de verdade dói.

Não, não dói. O que dói é falta de amor.

Mas já disseram que amor tem várias formas…

Desculpas de quem tem medo de amar. Porque o amor é uma coisa só.

 

Amor de mãe, de pai, de irmão, de amigo, de amor… Não existe troco pro amor, dá pra contabilizar?

Acho que não.

Sem se aprofundar, para pra pensar.

Paixão exige retorno, amizade exige retorno… Amor… Não.

 

É.. Ele tá lá porque ele quer, e não é porque não tem retorno que ele vai deixar de se mostrar.

Mas ele não é besta.

Ele sente a rejeição… Se esconde, foge dela… Mesmo nunca deixando de amar… Na verdade ele sofre, até se acostumar…  E até entender que às vezes é melhor se afastar… Não resolve, mas ajuda bastante.

 

Então… Amor não se cura com outro amor?

Acho que não. Amor não é doença. Amor é essência…

 

 

E o ódio?

 

Acho que é a ideia que alguns têm de amor judiado. Amor mal interpretado. É algo meio misturado.

 

Como tudo nessa vida, que necessariamente precisa de uma pitada de amor, se não não se mantém.

 

… É, talvez eu realmente não entenda muita coisa sobre amor. Mas sei bem: nem tudo o que a gente sente a gente entende.

 

♪ No matter what until the bitter end.


Safe and sound.

Just close your eyes
The sun is going down
You’ll be alright
No one can hurt you now
Come morning light
You and I’ll be safe and sound

 

“E eu realmente tenho pena de quem deixa de sentir, mesmo que seja a simples angústia de não sentir… ”

 

 

É um sopro de vida, louca e sem sentido, mas apesar dos pesares, sempre bem acompanhada.

 

 


Um pouco mais…

Tentamos recuperar o tempo perdido em vão.

Não se pode recuperar o tempo.

O tempo não nos pertence. Nunca nos pertenceu.

Pode-se, sim, consertar erros, ou minimizá-los, ou até construir novos acertos, e substituir esses antigos erros… A realidade?

Quem se perde somos nós.

(8) all she wants is happiness.


69.

Vai ver que o mundo não é tão pequeno assim.

As opções de boas cias e pessoas interessantes é que são poucas, até mesmo para pessoas chatas.


Só pensando.

=)

 

♪ So gather up your jackets, move into the exits

I hope you have found a friend


68.

E aí a gente para pra pensar.

 

Um coração sem cérebro, continua batendo…

Um cérebro sem coração não chega nem a existir.

 

 

Parece bobagem, mas é a ‘mecânica da vida’.

 

♪ Does anyone care?

 


67.

Ando criticando todas as ações que costumo praticar.

 

E apesar de admitir, isso não significa que eu vá mudar.

 

 

 

 

♪ We are, we are all innocent (you’ll stand up on your own..).


Tipo o nada.

Uma grande mentira, aquela que contei todos os dias.
Os sentidos cegaram e se disfarçaram de sentimento, por falta dele mesmo.

Talvez não seja medo, existem outras coisas.
A vontade agora é a de não estar, de não existir.

Uma busca por algo novo, mas dessa vez de verdade. Todos os empecilhos imaginários foram utilizados, e a fonte criativa esgotou. Eu tenho tempo, mas não tanto assim. Minha lista está sem riscos, nem riscos… Em todos os sentidos.

E nesse momento, honestamente, não gosto de nada, nem de ninguém… Mesmo.

E nunca é pessoal. É meu interior externando…

(8)… It’s impossible, I can’t let it out.